Ainda não tem conta na Coinext?
Abrir conta grátis
LIÇÃO
3

Como escolher uma corretora de criptomoedas

Próxima lição >

Por ser intermediário das transações, uma corretora tem a custódia sobre os ativos dos clientes. Ou seja, assim como em um banco, você mantém seu dinheiro em propriedade da empresa, confiando de que sempre que precisar você poderá transferi-lo ou sacá-lo como bem entender.

1. O que avaliar em uma corretora (exchange)

  • Confirme a existência da empresa: busque pelo CNPJ, consulte a localidade da empresa, o quadro societário. Confira no Linkedin se ela tem funcionários reais e quem são os diretores. Confira se são pessoas sérias, com histórico profissional relevante. Veja no site da empresa o que eles falam na página “Sobre” ou “Quem somos”.
  • Informe-se sobre a liquidez e volume: sites especializados como Biscoint ou Cointrader Monitor listam as corretoras brasileiras. Nesses sites você deve considerar a relevância da corretora e se ela será capaz de disponibilizar seus ativos assim que vocẽ solicitar.
  • Cuidado com as promessas de rendimento: desconfie de empresas que prometem ganhos. O bitcoin é uma moeda volátil, e não é possível prever a valorização ou desvalorização da moeda. Os lucros devem ser obtidos exclusivamente da estratégia de negociação que você definir. 
  • Prazos de transações: pesquise sobre os prazos para depósitos e saques em reais e criptomoedas. Aqui na Coinext, dentro do horário bancário, eles ocorrem em até 15 minutos. Além disso, você pode solicitar um saque a qualquer momento. 
  • Segurança: verifique se a exchange possui proteção contra invasões, além de Autenticação de 2 Fatores (2FA) e Validação de conta que garantem ainda mais segurança para a suas negociações.

2. Fuja das pirâmides

A lógica desse tipo de fraude é simples: você dá dinheiro em troca de promessas de ganhos, enquanto divulga para mais pessoas entrarem no mesmo negócio.

Enquanto novas pessoas estão entrando e colocando dinheiro, a promessa da empresa é cumprida. Afinal, há fluxo de caixa que pode ser usado para pagar os usuários anteriores. Até que não é mais sustentável, pois os ganhos prometidos não encontram espaço na realidade de qualquer mercado. O pagamento realizado pelos novos usuários na entrada são usados para pagar os anteriores, mas em algum momento a entrada de novos não é suficiente para pagar os antigos.

O Guilherme, do canal do YouTube Criptomaníacos, gravou um vídeo em parceria com a Coinext para explicar como funcionam as pirâmides e outras empresas fraudulentas de criptomoedas.

Veja as dicas de como evitar cair nesses golpes. Assista:

Discuta sobre o tema ou deixe seus comentários sobre esta lição: